Como utilizar

O Kit de Ferramentas da Sala de Aula do Futuro possibilita que os dirigentes escolares, os decisores políticos educativos e os fornecedores de TIC criem e implementem Cenários da Sala de Aula do Futuro que ofereçam uma visão clara das práticas inovadores no ensino-aprendizagem. Pode ser utilizado para introduzir ou ampliar o uso inovador das TIC numa escola ou em várias escolas no âmbito de um sistema educativo. Este processo fundamenta-se na consecução de mudanças incrementais, mas sustentáveis, no sistema educativo.

O kit de ferramentas incentiva o uso das TIC por toda a escola:

  • Criando uma visão educativa ambiciosa mas alcançável
  • Envolvendo todas as partes interessadas implicadas na conceção da estratégia de TIC de uma escola
  • Colocando a ênfase em práticas pedagógicas avançadas e na gestão da mudança
  • Concebendo Atividades de Aprendizagem cativantes que produzam inovação através do uso das TIC para apoiar a aquisição de Competências para o Século XXI pelos alunos
  • Avaliando a utilização das Atividades de Aprendizagem

A quem se destina o kit de ferramentas?

O kit de ferramentas pode ser usado por todos aqueles que estejam empenhados em propiciar mudança sustentável no ensino-aprendizagem, em particular:

  • Dirigentes escolares e professores - por exemplo, quando uma escola está a considerar investir em tecnologia ou alterar o currículo ou a configuração da escola;
  • Consultores a nível regional ou nacional – como ferramenta de gestão da mudança, especialmente na implementação de tecnologia;
  • Fornecedores de tecnologia, consultores e outros intervenientes - para prestar apoio e orientações às escolas sobre a forma de desenvolver a sua estratégia de TIC e ajudá-los a desenvolver os seus próprios produtos e serviços.

De que modo deve ser usado o kit de ferramentas?

O kit, que compreende seis conjuntos de ferramentas com uma gama de recursos cada, pode ser adaptado às necessidades e contextos locais. Os recursos que os compõem pode ser usados independentemente ou como parte de um processo completo de desenvolvimento de Cenários da Sala de Aula do Futuro. O Kit de Ferramentas pode ser utilizado para introduzir mudança numa única sala de aula, em toda a escola ou no sistema educativo mais vasto.

Inovação na sala de aula – Os Cenários da Sala de Aula do Futuro descritos neste kit de ferramentas e os processos para a sua criação e utilização foram avaliados em mais de 2500 salas de aula da Europa. Permitem que as escolas, ou uma equipa no seio da escola, reflitam sobre a sua prática atual e concebam e implementem abordagens inovadoras ao ensino-aprendizagem.

Mudança em todo o sistema aos níveis regional, nacional ou internacional – O kit de ferramentas foi desenvolvido no âmbito de um projeto internacional que envolveu decisores políticos de mais de 14 países. Deste modo, as ferramentas abordam um conjunto de tendências e desafios comuns que os decisores enfrentam ao aplicarem e implementarem uma vasta gama de tecnologias e soluções nos sistemas educativos.

Fornecedores de TIC – Além disso, o kit de ferramentas permite que os fornecedores de TIC compreendam melhor as necessidades das escolas e dos educadores. Foi desenvolvido com o apoio da Comissão Europeia, no âmbito de um projeto em que os Ministérios da Educação e os vendedores de TIC trabalharam em parceria. O kit de ferramentas é particularmente útil pois possibilita que os fornecedores colaborem com os decisores políticos e os professores no desenvolvimento de uma visão comum sobre a implementação e utilização eficazes da tecnologia na aprendizagem.

Utilizar as ferramentas individualmente ou como um processo completo

O kit de ferramentas foi inicialmente concebido como um processo completo para criar Cenários da Sala de Aula do Futuro (CSF) e usá-los como inspiração para conceber Atividades de Aprendizagem inovadoras. Contudo, cada conjunto de ferramentas vale por si só, como a seguir se indica.

Conjunto de ferramentas

Integrado no processo dos CSF (a nível de escola ou sistema)

Como ferramentas individuais

1 – Identificar Partes Interessadas e Tendências

A criação de um CSF começa pelo envolvimento de uma variedade de pessoas informadas, trabalhando com elas para identificar tendências, as quais são os elementos constituintes de um CSF. São estas que definem que mudanças são suscetíveis de afetar as escolas no futuro.

Para identificar quem deve envolver-se em qualquer processo de gestão da mudança. Os processos de definição de políticas educativas devem basear-se numa identificação informada de tendências.

2 – Modelização de maturidade da Sala de Aula do Futuro

Para criar um CSF útil, é importante avaliar a maturidade de uma escola em termos do uso que faz das TIC no ensino-aprendizagem.

Em muitas escolas e países, a autoavaliação é usada para aferir o seu progresso atual na adoção eficaz das TIC.

3 – Criar um Cenário da Sala de Aula do Futuro

Uma atividade de workshops presenciais para criar um CSF, como visão da mudança.

A simples adaptação e adoção de um cenário existente a partir do banco de CSF.

4 – Conceber Atividades de Aprendizagem inovadoras

O CSF é utilizado como inspiração para a conceção de Atividades de Aprendizagem inovadoras, com orientações e apoio ao uso de tecnologias de aprendizagem.

Um CSF existente pode ser usado para criar um conjunto de Atividades de Aprendizagem

5 – Avaliar a inovação na sala de aula

Uma vez criadas, as Atividades de Aprendizagem devem ser usadas para propiciar verdadeiras mudanças na sala de aula. Devem ser avaliadas para verificar se introduzem a inovação esperada.

As Atividades de Aprendizagem existentes podem ser aplicadas na sala de aula e avaliadas. 

A Metodologia da Sala de Aula do Futuro

O Kit de Ferramentas da Sala de Aula do Futuro oferece um conjunto de materiais de orientação, ferramentas de TIC e outros recursos para orientar os utilizadores através de um processo completo de gestão da mudança. Esta metodologia assegura que a implementação das TIC nas escolas assente numa visão fiável sobre a sala de aula do futuro e que os utilizadores façam um uso eficaz das TIC para apoiar abordagens pedagógicas avançadas.

O processo baseia-se no trabalho conduzido no âmbito do projeto iTEC. Compreendendo 26 parceiros, incluindo 17 Ministérios da Educação e com financiamento da Comissão Europeia, o projeto iTEC investigou e avaliou de que modo a tecnologia pode ser usada com sucesso nas escolas e de que modo os cenários da sala de aula do futuro podem ir mais longe do que experiências em pequena escala a fim de envolver números alargados de escolas. Entre 2010 e 2014, os Cenários da Sala de Aula do Futuro e as Atividades de Aprendizagem do iTEC foram objeto de aplicação experimental e avaliados em mais de 2500 salas de aula em 19 países europeus.

O processo pode ser entendido em várias etapas.

Etapa 1 - Desenvolvimento de Cenários da Sala de Aula do Futuro Inspiradores

Um Cenário da Sala de Aula do Futuro (CSF) constitui uma descrição narrativa de ensino-aprendizagem que oferece uma visão sobre a inovação e a prática pedagógica avançada, fazendo um uso eficaz das TIC. O objetivo é inspirar os professores para que alterem as suas próprias práticas (através da adaptação das ideias apresentadas) e não fornecer um guião de aulas.

Um Cenário da Sala de Aula do Futuro é criado através da reunião de um conjunto diversificado de partes interessadas que têm uma perspetiva diferente sobre os desafios e oportunidades que precisam de ser considerados ao planear a educação do futuro. Estas partes interessadas podem incluir professores, diretores escolares, pedagogos, empregadores, encarregados de educação, alunos, etc. O seu papel é identificar tendências emergentes importantes, suscetíveis de ter impacto sobre o ensino-aprendizagem do futuro. Avaliam igualmente o nível de maturidade no uso das TIC em que uma escola se encontra, a fim de identificar o nível de maturidade que a escola desejaria atingir.

Estas tendências e o nível de maturidade são utilizados para orientar o processo de escrita do cenário que apresenta uma descrição de alto nível das atividades de aprendizagem e das funcionalidades dos recursos. O cenário descreve as funções dos alunos, dos professores e de outros participantes e centra-se em abordagens avançadas ao ensino-aprendizagem que apoiem os alunos na adoção de Competências para o Século XXI. Um Cenário da Sala de Aula do Futuro não se limita à "sala de aula" e pode ter lugar em qualquer contexto, ambiente ou local onde a aprendizagem seja possível.

Etapa 2 – Conceber Atividades de Aprendizagem Inovadoras

Os Cenários da Sala de Aula do Futuro são intencionalmente inspiradores, o que significa que apresentam uma visão sobre o que pode ser concretizado para apoiar a inovação no ensino-aprendizagem. Por esta razão, não são pormenorizados e podem apresentar um conjunto de desafios para os professores que tentam implementá-los.

A segunda etapa na Metodologia da Sala de Aula do Futuro consiste em utilizar os Cenários da Sala de Aula do Futuro como inspiração para conceber Atividades de Aprendizagem que possam ser implementadas na prática pelos professores. Tal envolve um processo de conceção colaborativo em que grupos de professores, muitas vezes de disciplinas e formações diferentes, trabalham em conjunto num workshop de criação.

Uma Atividade de Aprendizagem constitui uma descrição concreta de uma unidade de uma experiência de ensino-aprendizagem que não é específica de uma disciplina; pode ser, assim, usada por qualquer professor. O processo colaborativo de conceção de Atividades de Aprendizagem destina-se a permitir que os professores transformem cenários educativos visionários em práticas reais na sala de aula. Deste modo, os cenários oferecem um estímulo à conceção de Atividades de Aprendizagem inovadoras.

Etapa 3 – Experimentar e avaliar as Atividades de Aprendizagem

Na última etapa, os professores utilizam as Atividades de Aprendizagem como contributos para a planificação das aulas. Pode ser utilizado um conjunto de Atividades de Aprendizagem numa variedade de sequências para lecionar qualquer aspeto do currículo. Os professores têm de decidir de que modo vão usar as atividades e quando e que resultados de aprendizagem irão alcançar. O objetivo é que o(a) professor(a) experimente novas e mais avançadas abordagens ao ensino, bem como apoiar a aprendizagem. Como parte deste processo, é prestada orientação sobre a utilização dos recursos e das tecnologias. Por exemplo, foi desenvolvido um conjunto de ferramentas para ajudar os professores a identificar e usar estes recursos e ferramentas, minimizando as barreiras à inovação.

A condução da Atividade de Aprendizagem é avaliada, como parte deste processo de experimentação de novas abordagens, e os professores são incentivados a partilhar as suas experiências no âmbito de uma comunidade de prática. Pretende-se que este processo seja igualmente iterativo, para que a experimentação de novas abordagens e tecnologias enriqueça o desenvolvimento de Cenários da Sala de Aula do Futuro e Atividades de Aprendizagem cada vez mais inovadores.

Histórias de utilizadores

O diretor da Escola Secundária de Odda, na Noruega, Sven Olaf Brekke, explica de que forma aplicou o processo da Sala de Aula do Futuro, desenvolvido no âmbito do projeto iTEC, para ajudar os seus professores a inovar.

Três professores de três países diferentes - Espanha, França e Portugal - partilham as suas histórias sobre o modo como o processo e as ferramentas da Sala de Aula do Futuro (no âmbito do projeto iTEC) os ajudaram a introduzir o princípio da inovação na sua prática de ensino.